quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

NOVO ENDEREÇO!

Olá, leitores! Sabemos que estamos em débito com novas publicações, porém 2015 foi um ano de crescimento e mudanças em nossos consultórios. Este ano estaremos mais empenhados em escrever aqui. Agora temos um novo endereço! O Dr. José Márcio Pacheco segue na Rua Coronel Moreira César 229/1923 Niterói/RJ e eu, Dr. Felipe Silva da Costa, agora estou atendendo na Rua Geraldo Martins 70/802 Niterói/RJ. Os projetos seguem em comum mas precisamos ampliar nossas agendas e com isso criar um ambiente novo!  


CARDIOLOGIA - DR. JOSÉ MÁRCIO PACHECO

RUA CORONEL MOREIRA CÉSAR 229 SALA 1923
TEL (21) 3628-4044


CIRURGIA VASCULAR - DR. FELIPE SILVA DA COSTA

RUA GERALDO MARTINS 70 SALA 802
TEL (21) 3628-1212

Acompanhem-nos também no Facebook!


Um abraço a todos!



sábado, 27 de setembro de 2014

ANEURISMA DE AORTA: VOCÊ SABE O QUE É?

A Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular do Rio de Janeiro (SBACVRJ) apresentará entre os dias 13 e 17 de outubro de 2014 a X SEMANA ESTADUAL DE SAÚDE VASCULAR, este ano focada no ANEURISMA DE AORTA ABDOMINAL. Além de promover atendimento na Cinelândia, Centro do Rio, haverá campanha na mídia, outdoors e inclusive aplicativos para serem baixados para os smartphones! Este vídeo nos esclarece bastante sobre a população mais acometida e sobre os riscos desta BOMBA que pode estar dentro do nosso corpo. Vamos assisti-lo!

Um abraço a todos!






segunda-feira, 22 de setembro de 2014

ATENÇÃO! NOVO TELEFONE!

Olá, leitores do Cardiologia & Cirurgia Vascular!

Nosso consultório está com novo telefone!


Anotem os contatos para agendamento de consultas:


- (021) 36284044


- (021) 36080040


Obrigado e até a próxima!

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

DESCONGESTIONANTES NASAIS E O RISCO CARDIOVASCULAR




Nos meses mais frios do ano, geralmente, aumentam as ocorrências de gripes e resfriados, assim como, das alergias respiratórias. O que se tem verificado na prática clínica é uma atitude, cada vez mais costumeira, de se recorrer ao uso dos descongestionantes nasais.

Essas medicações possuem indicações específicas e não devem ser utilizadas sem uma predeterminação de critérios; ao longo do tempo, geralmente, levam à uma dependência de uso e a necessidade de incremento das doses para se chegar à um mesmo benefício.

Além disso, alguns compostos químicos presentes nos descongestionantes possuem a característica de estimular o sistema cardiovascular, podendo levar ao aumento da frequência cardíaca, ao desenvolvimento de arritmias cardíacas e a níveis pressóricos elevados (hipertensão arterial sistêmica).


Portanto, essas medicações, como todas, devem ser utilizadas com parcimônia e através de prescrição médica.

Saudações, Dr. José Márcio Pacheco

terça-feira, 2 de setembro de 2014

O CONSUMO DE SAL


  
O sal é amplamente encontrado em nossa sociedade, está presente em bebidas, em alimentos naturais e orgânicos e, é claro, também nos produtos processados/industrializados. 

Em sua composição encontramos dois minerais, o Sódio e o Cloro, que formam o Cloreto de Sódio. (Apesar de importante, o Cloro não será adereçado nesta postagem!)

O Sódio é extremamente relevante para a manutenção adequada do metabolismo em geral. É uma das matérias primas fundamentais para os mais básicos mecanismos eletroquímicos de nossas células. Se houver falta importante de Sódio no organismo, ocorrerá desequilíbrio em todo o sistema orgânico, podendo, em última análise, levar ao colapso e, consequentemente, ao óbito. 

Para que tal fato seja prevenido, o nosso organismo evoluiu a tal ponto, que nos tornamos muito eficientes na absorção de Sódio pelo sistema digestivo e as nossas perdas pelo sistema urinário podem ser intensamente minimizadas. Esta descrição, aumento da absorção intestinal com diminuição da perda urinária, leva a uma nítida tendência a acumular o Sódio no organismo.

É a partir deste ponto que o Sódio pode vir a desempenhar um papel bastante nocivo!

Para que o Sódio possa ser mantido em uma relação harmônica no organismo é preciso que haja água suficiente para diluí-lo. Portanto, quanto mais Sódio no organismo mais água será retida!

Ao aumentar a quantidade de água "retida" no organismo ocorre um aumento  do volume de sangue circulante, com, consequente, aumento da pressão dentro dos vasos sanguíneos.  Funciona de forma semelhante ao que ocorre com uma tubulação de água, se houver um volume de água muito grande dentro do cano, este corre o risco de romper.

Por isso que a sobrecarga de Sódio pode levar a Hipertensão Arterial, Insuficiência Cardíaca, AVC (acidente vascular cerebral), doenças renais, entre outras.


A recomendação da OMS (Organização Mundial de Saúde) é de menos de 5 gramas de sal por dia. 
Segundo a SBC (Sociedade Brasileira de Cardiologia) o consumo atual de sal no Brasil é de 12 gramas per capita, ou seja, mais que o dobro.

Vejamos por quê:

50g de embutidos como presunto e mortadela  (5 a 6 fatias) têm cerca de 2,5 gramas de sal !

Uma única fatia de pão têm cerca de 7 a 10% das suas necessidades de Sódio para o dia inteiro!

Uma fatia de pizza sabor pepperoni, bacon, calabresa ou portuguesa têm cerca de 2,5 a 3 gramas de sal! 

Um envelope de sopa instantânea tem ¼ do Sódio que você precisa para o dia inteiro!

Uma porção desses condimentos industrializados, tipo caldo K..., Arisc..., Sazo..., Aginom..., tem efetivamente toda quantidade de sódio que você necessita para o dia inteiro!


Portanto, cuidado com suas escolhas alimentares!
A comida deve ser saborosa, é claro, porém não às custas de sal e de temperos industrializados. Deve-se utilizar os temperos naturais, como açafrão, orégano, salsa, cebola, alho, pimentão, manjericão, entre outros.

Este tema ainda vai ser trabalhado em postagens futuras, então até lá!!




Saudações, José Márcio Pacheco

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

DOR NAS PERNAS


A maior procura no consultório de Angiologia e Cirurgia Vascular se deve às dores nas pernas. Mas será que somente problemas vasculares - na circulação - levam a essas dores? Logicamente, não. 

Nossos vasos são responsáveis por levar o sangue com oxigênio e nutrientes e trazê-lo com o gás carbônico e com os detritos para serem depurados. Quando há algum problema neste caminho, no de ida ou no de retorno, aí sim teremos sintomas e outros sinais clínicos relacionados a problemas circulatórios. 

O exemplo mais comum é a Insuficiência Venosa Crônica (IVC), que leva a inchaços (edemas), manchas nas pernas - principalmente da metade da perna ao tornozelo - e às famosas varizes. Além da IVC, temos também a Doença Arterial Oclusiva Periférica (DAOP), que se apresenta no caminho de ida, as artérias (leiam Artérias e Veias), fazendo com que o sangue não chegue adequadamente no seu destino levando a quantidade necessária de oxigênio e nutrientes às células. 

O principal tratamento da IVC são o que chamamos de medidas comportamentais, os hábitos de vida. Exercícios físicos regulares, portanto, são fundamentais na sua prevenção e na melhora dos sintomas. Claro que ninguém virará atleta da noite pro dia! Nem os sintomas desaparecerão na primeira caminhada... Além disso, o repouso com as pernas elevadas (altura de "um palmo" já se mostra suficiente) e o uso da meia elástica de compressão são pontos importantes. As medicações como a Diosmina + Hesperdina (Daflon, Diosmin, Flavenos são exemplos) auxiliam melhorando o funcionamento das veias, mas não livram do tripé EXERCÍCIO-REPOUSO-MEIA ELÁSTICA.  

A DAOP é mais grave. Demonstra que vários sistemas podem estar afetados, e está  diretamente associada ao fumo, à Diabetes, à Hipertensão Arterial e ao colesterol elevado. Nesta, inclusive, o risco de amputação do membro é presente. As dores neste caso se apresentam como claudicação  (o paciente geralmente manca) após uma distância de caminhada, alterações na temperatura e coloração da pele e feridas que não cicatrizam. É fundamental o diagnóstico precoce justamente pelo risco de amputação. 

Outras causas comuns que levam o paciente a procurar nosso consultório são relacionadas a problemas de coluna (por compressão dos nervos que seguem para as pernas), doenças das articulações ou ósseas (osteoarticulares), e outros, e infelizmente não podemos auxiliar muito... Apenas fazemos o encaminhamento para a especialidade relacionada à hipótese em questão. 

Discutiremos mais à frente esses assuntos de forma mais detalhada, ok?

Um abraço a todos, e lembrem-se: procure seu médico antes de começar os exercícios ou qualquer outra medida acima!

Dr. Felipe Costa - Cirurgia Vascular e Endovascular







terça-feira, 22 de julho de 2014

VARFARINA - RISCOS E CONTROLE DO TRATAMENTO


Nesta primeira postagem após este longo período de inatividade, escolhi uma tema que se tornou muito procurado na nossa página, trata-se da Varfarina (comercializada como, Marevan ou Coumadin).
Para um conhecimento mais vasto sobre o tema, seria interessante conferir a postagem A VARFARINA E OS ALIMENTOS RICOS EM VITAMINA K !

Um relevante integrante do processo de coagulação é a vitamina K, através da sua utilização pelo fígado, ocorre a síntese de substâncias (fatores de coagulação) que se articulam para a formação dos coágulos que previnem sangramentos espontâneos ou traumáticos.

A Varfarina como já foi explicitado aqui, foi inicialmente produzida como raticida em 1948 e só em 1954 foi iniciado o uso em seres humanos.  Seu mecanismo de ação consiste na inibição da síntese dos fatores de coagulação ligados à vitamina K, promovendo uma resistência à construção adequada dos coágulos.

Apenas analisando o mecanismo de ação, é possível ter uma noção da dimensão do risco que o uso inadvertido desta droga nos trás.

Se o efeito medicamentoso for excessivo, pode ser que a coagulação seja amplamente inibida, possibilitando a ocorrência de eventos adversos que vão desde sangramentos espontâneos de baixo risco (sangue nas fezes, urina e hematomas superficias) até sangramentos graves e ameaçadores de vida (derrame cerebral hemorrágico, hemorragias internas).

No extremo oposto, no caso do efeito medicamentoso restrito, não ocorrerá a esperada inibição da coagulação,  mantendo o paciente sob risco da doença de base (trombose venosa, embolia pulmonar, etc...).

Existem alguns medicamentos e certos alimentos que influenciam no efeito da Varfarina, podendo desencadear efeito excessivo ou discreto da droga (Os medicamentos que interferem com efeito da Vafarina serão abordados em outro texto).

Percebem como a Varfarina é uma droga peculiar ?

Para ocorrer o efeito medicamentoso da maioria das outras drogas utilizadas na prática clínica, basta que o indivíduo as utilize nos horários e nos intervalos adequados, mas com a Varfarina não é possível ter essa certeza !!

Então, como é possível a certificação do efeito pretendido ?

Para ter o maior benefício da droga com o menor risco de sangramento possível é necessário fazer a dosagem do efeito através de amostra sanguínea. O exame chama-se R.N.I ou I.N.R.

Através do resultado do I.N.R. podemos graduar a "faixa" terapêutica da Varfarina, o intervalo esperado será variável conforme a doença que motivou o tratamento! A faixa utilizada mais frequentemente na prática clínica é a de 2 a 3x o valor normal do I.N.R.
A frequência de verificações do I.N.R. também é variável e acaba sendo individualizada para cada paciente.

Saudações, Dr. José Márcio Pacheco

BlogBlogs.Com.Br